terça-feira, 10 de maio de 2011

( Retratos contados)

Mistério infantil

Meu pai me dizia:
- Fui um dia pegar girino
pra ver virar neném;
desapontado fiquei;
girino vira sapo.
Mas como fazia neném?
Por volta dos dezesseis; fui entendendo;
sobre o homem e mulher.

ps: um texto que encontrei em meus guardados... tem cheirinho de mofo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Entre mãe e filha

Te fito nos olhos, um desejo de estar neles. O quanto olhamos sem nos enxergarmos? As coisas que o tempo apaga na gente, a arte de perd...