segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Pequena crônica poética – hidros nº 01

 O curso da água desenha a cidade.
Deito meu olhar sobre os rios

nomes próprios em cada curso

lá na cidade de pedra
o rio divide
o lado de lá
o lado de cá,

                forte em suas arrebantações
                pouco sobra das coisas dos homens.

na cidade de pedra o vermelho esparrama-se em reinado.

2 comentários:

  1. tô gostando muito da sua série de rios

    ResponderExcluir
  2. Aqui em Goiás os rios tem nomes tão bonitos que ja tem tempo fiquei pensando de falar. Rio vermelho, rio das almas..rio corumbá .. E o Araguaia que não conheço....

    ResponderExcluir

Pílula poética - assepsia

Assim suspensa no silêncio da casa me movo, e meus pós acumulados pelos anos como aspirar? [alguém aspira? – eu só sei inspirar] Minhas ...