sábado, 12 de janeiro de 2013

Diálogos intermitentes


                                                               | sobre essa estranha mania de falar sozinho |


Quando o silêncio alcança altos decibéis,
             Totalmente insuportáveis aos corações humanos.

Nós inventamos o outro,
              e são muitas as naturezas:
             animal, pétreo, virtual
             há até quem fale consigo mesmo.
             e outros ainda dedilham nas letras o silêncio da solitude.

Somos tão ínfimos
Não bastamos em nós mesmos,
Mas detemos a imaginação...

E a senhora, minha vizinha clama a sua gata
- Zuli sua égua véia vai durmir 
E o bichano atente prontamente. 

3 comentários:

  1. Você tem razão, Raquel, não bastamos a nós mesmos, o que é uma coisa muito triste. Linda poesia. Abraços

    ResponderExcluir
  2. sabe, falar sozinho não é indicio de que estamos loucos ~como os outros pensam. serve pra pôr em ordem nossos pensamentos. falamos em voz alta para ouvirmos a nós mesmos mais claramente.

    ResponderExcluir

De Cortázar - esperanças

Tem dias de esperança aquilo que passa por você . Um sentir, de não estar. Dias de esperança são difíceis, tudo fica ali no qua...