sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Parasitagem ao reverso

(para Henrique Vitorino)

A sua poesia
maleável
toda feita
de dobras
exercício
de quem
esculpe
a palavra
o verso
expõe
o poema
ele mesmo
ao máximo
de sua resistência.
um eu - lírico
múltiplo
de natureza.

O leitor
move
gira
penetra
nas
facetas
e
reentrâncias
poéticas.

Um comentário:

  1. Muito honrado fiquei Raquel!!! Obrigado pela homenagem! Fico muito realizado em saber de alguém que gosta do que escrevo. Obrigado mesmo! Ainda mais alguém que também admiro a escrita.

    ResponderExcluir

Entre mãe e filha

Te fito nos olhos, um desejo de estar neles. O quanto olhamos sem nos enxergarmos? As coisas que o tempo apaga na gente, a arte de perd...