sábado, 21 de outubro de 2017

Mares brilhantes

Tudo chega tão rápido,
Mares infinitos que se abrem por meio de telas brilhantes.
Tanto mais eu nado, mais me afogo.
Bits brilhantes de mim mesma.

Aquilo que se sabe no instantâneo
Aquilo que menos se sente no instantâneo.

Telas brilhantes de todos tamanhos.
torrentes informacionais
de política, tanto cifrão.
a maldade da gente
os absurdos de todo dia.

Torrentes informacionais
Instantâneas
Prontas pra você não guardar
numa tragada
tudo vira fumaça.

Amanhã?
Tudo de novo nas telas brilhantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hoje não tem poesia

Tem sido difícil tentar explicar o óbvio. Eliane Brum nos diz que vivemos numa crise de palavras, na qual diferente do período da censura a...