segunda-feira, 19 de junho de 2017

Pequena crônica poética - entre o dia e a noite

É preciso sair das serras
Para me ampliar por esse chapadão
De um céu plano
onde o horizonte parece ainda mais longe
céu e terra se fundem.
Lá, as serras me roubam o breve momento entre dia e noite,
a noite chega abrupta.
Mas aqui, entre o dia e a noite
o céu vai se tingindo de cores
entre laranjas, azuis, vermelhos. Paleta inominável
Vou me despedindo do dia
até Deus apagar o último rasgo de luz.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hoje não tem poesia

Tem sido difícil tentar explicar o óbvio. Eliane Brum nos diz que vivemos numa crise de palavras, na qual diferente do período da censura a...