domingo, 22 de junho de 2014

Pequena crônica poética – fogos

Crepita a lenha
estalos da combustão
Mãos erguem o mastro
        Rodilhas de fitas coloridas
        varal de bandeirolas abrigadas pelas estrelas juninas


o boi de chitão
corre pela praça
ê ê ê boi
alguns pequenos choram sobressaltados.
o tempo contará sobre a natureza do boi.

        Canjica de tacho
        pipocas em estouros
       
quando tudo acabar
aquela certeza das coisas que se repetem
ano após ano.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mares brilhantes

Tudo chega tão rápido, Mares infinitos que se abrem por meio de telas brilhantes. Tanto mais eu nado, mais me afogo. Bits brilhantes de m...