domingo, 4 de março de 2012

Pequena crônica poética – ruas


Os pés saltitam por sobre
As calotas pétreas,
Se chove,
As pernas se projetam,
em salto,
sobre a capistrana cheia de água.
Todo vilaboense deve ter algo
Entre bailarino e acróbata.

3 comentários:

  1. Em Recife também é assim quando chove... Além de bailarinos e acróbatas, às vezes somos naúfragos...

    ResponderExcluir
  2. Muito bom Raquel. Sem saber vc me deu um presente de aniversário. Penso que poemas sobre coisas corriqueiras são poesias em estado máximo, simplesmente olhando para a vida com um olhar meio infantil. Lindo poema!

    ResponderExcluir

Entre mãe e filha

Te fito nos olhos, um desejo de estar neles. O quanto olhamos sem nos enxergarmos? As coisas que o tempo apaga na gente, a arte de perd...