sábado, 9 de julho de 2011

Pequena crônica poética – sobre o reflexo

O olhar alheio

de natureza dúbia,

perpassa a carapaça.

E quando a imagem reflete na retina,

por poucos instantes perco-me

entre a pálida certeza do meu ser,

e a sombra no olho alheio.

Iminências de não caber no mundo.

2 comentários:

  1. vc retirou em mim, como q com a mão, um sentimo q a muito não conseguia descrever

    ResponderExcluir
  2. Não caber no mundo
    é a minha maior certeza.

    ResponderExcluir

Mares brilhantes

Tudo chega tão rápido, Mares infinitos que se abrem por meio de telas brilhantes. Tanto mais eu nado, mais me afogo. Bits brilhantes de m...