sábado, 9 de julho de 2011

Pequena crônica poética – sobre o reflexo

O olhar alheio

de natureza dúbia,

perpassa a carapaça.

E quando a imagem reflete na retina,

por poucos instantes perco-me

entre a pálida certeza do meu ser,

e a sombra no olho alheio.

Iminências de não caber no mundo.

2 comentários:

  1. vc retirou em mim, como q com a mão, um sentimo q a muito não conseguia descrever

    ResponderExcluir
  2. Não caber no mundo
    é a minha maior certeza.

    ResponderExcluir

Entre mãe e filha

Te fito nos olhos, um desejo de estar neles. O quanto olhamos sem nos enxergarmos? As coisas que o tempo apaga na gente, a arte de perd...