segunda-feira, 4 de julho de 2011

Colóquio sobre o tempo

                                           (Para Patrícia)


Temo o tempo
Ladrão de minha feminina vaidade,
temo o tempo,
pelo constante atropelo,
temo o tempo,
pela fatalidade do senso comum
passa num piscar-de-olhos,
temo o tempo,
porque a elasticidade se esvai
mas dentro a dança é a mesma,
temo o tempo,
pela anestesia em minha memória,
temo o tempo,
por sentir a distância crescer
temo o tempo,
por tantas sofreguidões cotidianas
aspiradores de mim.
temo o tempo,
com o juízo sobre os verbos,
era, sou e serei.

Temo o tempo,
em oração.

2 comentários:

  1. Excelente! Gosto muito de escritos que tratam do assunto "tempo". A Viviane Mosé é uma filósofa que de vez em quando escreve algum belo texto sobre o tempo, não sei se você conhece.
    Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir

Mares brilhantes

Tudo chega tão rápido, Mares infinitos que se abrem por meio de telas brilhantes. Tanto mais eu nado, mais me afogo. Bits brilhantes de m...