segunda-feira, 4 de julho de 2011

Colóquio sobre o tempo

                                           (Para Patrícia)


Temo o tempo
Ladrão de minha feminina vaidade,
temo o tempo,
pelo constante atropelo,
temo o tempo,
pela fatalidade do senso comum
passa num piscar-de-olhos,
temo o tempo,
porque a elasticidade se esvai
mas dentro a dança é a mesma,
temo o tempo,
pela anestesia em minha memória,
temo o tempo,
por sentir a distância crescer
temo o tempo,
por tantas sofreguidões cotidianas
aspiradores de mim.
temo o tempo,
com o juízo sobre os verbos,
era, sou e serei.

Temo o tempo,
em oração.

2 comentários:

  1. Excelente! Gosto muito de escritos que tratam do assunto "tempo". A Viviane Mosé é uma filósofa que de vez em quando escreve algum belo texto sobre o tempo, não sei se você conhece.
    Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir

Pequena crônica poética – sobre os lençóis

Paisagens mutantes, vento e areia minúsculos pontos brilhantes envolvidos num sopro. Sopros e pontos brilhantes construindo relevos. Lá ...