quarta-feira, 27 de abril de 2011

Objetos inexistentes - olfato

O olho olha,
A máquina rouba o olhar,
registra-o para além do tempo.

O nariz cheira,
Onde estão meus frascos de cheiros perdidos?
Memória olfativa.

Inspiro o mundo
Expiro o mundo
pra dentro das buretas.

2 comentários:

  1. lindo isso!!

    vou usar, postar no facebook! pode?
    (ja postei, rs)

    bjo

    ResponderExcluir
  2. ah mateus pode pode ... vou ver lá...

    bju!

    ResponderExcluir

Dois encontros

Tem gente que não gosta de andar de ônibus. É coisa que exige um certo tipo de espírito que se joga no desconhecido. Por alguns instante...