sábado, 16 de janeiro de 2010

Tratado do existir

Só sei existir quando me parto,

para enfim ser possível transfigurar
só sei existir quando parte de mim,
es ca pa a a a
sublima a a a

Em estado de sublimação,
sou livre.

3 comentários:

  1. lindo poema, como quem o escreveu *-*

    ResponderExcluir
  2. oi raquel! sobre seu comentário sobre a minha 'série de janeiro' (hahah)...: foi este poema aqui seu que me desviou e fez eu escrever os ultimos! obrigado!

    ResponderExcluir

Dois encontros

Tem gente que não gosta de andar de ônibus. É coisa que exige um certo tipo de espírito que se joga no desconhecido. Por alguns instante...