sábado, 16 de janeiro de 2010

Tratado do existir

Só sei existir quando me parto,

para enfim ser possível transfigurar
só sei existir quando parte de mim,
es ca pa a a a
sublima a a a

Em estado de sublimação,
sou livre.

3 comentários:

  1. lindo poema, como quem o escreveu *-*

    ResponderExcluir
  2. oi raquel! sobre seu comentário sobre a minha 'série de janeiro' (hahah)...: foi este poema aqui seu que me desviou e fez eu escrever os ultimos! obrigado!

    ResponderExcluir

Mares brilhantes

Tudo chega tão rápido, Mares infinitos que se abrem por meio de telas brilhantes. Tanto mais eu nado, mais me afogo. Bits brilhantes de m...