terça-feira, 10 de março de 2009

Sobre as coisas ocultas

Escondo-me.
Cada palavra
redigida no escuro,
por debaixo da coberta.
Escondem-se
todas as palavras
esquivam-se de minhas mãos;
quando consigo por ventura capturar,
tal ser anímico,
não há jeito,
não a forma,
de ordenar,
impor ritmo,
precisão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pílula poética - assepsia

Assim suspensa no silêncio da casa me movo, e meus pós acumulados pelos anos como aspirar? [alguém aspira? – eu só sei inspirar] Minhas ...